A Banda dos Corações Partidos
  • A Banda dos Corações Partidos

    A Banda dos Corações Partidos

    A Banda dos Corações Partidos jamais soou tão pra frente. Ao invés do acento circense da primeira hora, a gestação remete agora à guitarrada, o arrocha e o partido alto. Logo se vê que 'Desamor' (2018) não economiza na pegada. A maior surpresa do registro, entretanto, não reside no aspecto formal das canções, mas no discurso berrado com toda a força por Diane Veloso. O tom é de confronto. Aparentemente, o amor romântico foi sepultado de vez, ferindo de morte o tal do patriarcado.
    Sinal dos tempos. E ai de quem derramar uma lágrima pelo finado. Não por acaso, as canções mais fortes do EP chegam às vias de fato. 'Veneno' (Alex Sant'Anna) e 'Morra' (Alex Sant'Anna e Diane Veloso), talvez as melhores faixas já gravadas pela turma, pedem a cabeça de um algoz sem face. Não tem mais dor de cotovelo. Mimimi e chororô cessaram. Diane canta e até grita, insurgente. Parece anunciar que daqui pra frente resolverá tudo com tiro, bomba e porrada.
    As razões para tamanha beligerância são de domínio público. A idealização amorosa é sim dos instrumentos de perpetuação do machismo, o mais cabeludo palavrão hodierno. E, embora A Banda dos Corações Partidos nunca tenha perdido tempo com a trilha sonora dos contos de fadas, o eu lírico das composições assinadas antes por Alex passavam longe de modelo ou reflexo do mulherio empoderado.
    Alguém poderia questionar a razão de transformação tão radical em um intervalo mais ou menos breve, desde quando A Banda dos Corações Partidos lançou o seu primeiro disco, há quatro anos. Quem quiser arrisque uma resposta. Convém notar, contudo, que a guinada não é solitária. Elza Soares é uma que percorreu trajetória parecida, abrindo caminhos. Em certa medida e com algumas ressalvas, Anitta é outra. Dedo no cu e gritaria para mudar o mundo, contra a caretice e os reacionários.
    O momento realmente tem um quê de odiento. E certa qualidade de artista não pode se dar ao luxo de pairar acima dos embates travados pelas pessoas de carne e osso, como uma diva sem buracos. A prova é um pixo, chamando atenção numa avenida do Augusto Franco. "Machos pebas, morram!", ameaça o desabafo riscado no muro. 'Desamor' faz o mesmo, com a autoridade própria de um produto de arte.
    By Rian Santos (Jornal do Dia)

    Pra download do DISCO clica neste link
    http://bit.ly/abcpartidosdesamor

    Integrantes:
    Diane Veloso - Voz
    Alexandre Marreta - Guitarra
    Luno Torres - Baixo
    Leo Airplane - Piano, teclado e samples
    Josimar Santos - Bateria

    Downloads: Mapa do Palco Rider

    Telefone: 79 99978-7735
    E-mail: abandadoscoracoespartidos@gmail.com

    Origem: Aracaju - se (Brasil)

    Residência: Aracaju - se (Brasil)

    Estilo
    Música Melodramática

    Redes Sociais

  • Fotos

    abcpartidos-foto-de-divulgacao-foto-de-manoela-veloso-passos-5-5b914c3424b3e.jpg abcpartidos-foto-de-divulgacao-foto-de-manoela-veloso-passos-1-5b914be39c063.jpg 176140_1816731227566_1518687779_31900326_3999107_o.JPG mh-e-snapic-a-banda-dos-coracoes-partidos-projeto-vera11-4f86305f0cd3d.jpg mh-e-snapic-a-banda-dos-coracoes-partidos-projeto-vera14-4f86309bde480.jpg mh-e-snapic-a-banda-dos-coracoes-partidos-projeto-vera30-4f86322182d5f.jpg mh-e-snapic-a-banda-dos-coracoes-partidos-projeto-vera33-4f86324ed839a.jpg mh-snapic-coracoes-partidos-008-4f8633dd5037e.jpg
  • Músicas

  • Vídeo